Colégio Unasp implanta sala de aula com sistema bilíngue

Escrito por Vanessa Lemes em 24 de fevereiro de 2012

Neste ano, o Colégio Unasp inaugura sistema bilíngue para alunos do jardim e pré. São crianças com idade de três a cinco anos. Nesse sistema, todas as disciplinas são trabalhadas normalmente como em qualquer outra escola, a diferença é que as matérias são ensinadas em inglês.

As aulas desse sistema começaram no dia 13 de fevereiro com o projeto “Home sweet home”, em que os alunos estudam a sociabilidade de sua casa. Eles começam aprendendo vozes de comando em inglês, como “hora de acordar”, “hora de orar”, “vamos comer”, por exemplo. 

De acordo com a diretora Carla Lopes, o projeto foi idealizado pelo diretor do Unasp, campus Engenheiro Coelho, o pastor Paulo Martini. A intenção do diretor é alargar as fronteiras da instituição, já que esse tem sido um método utilizado em algumas escolas brasileiras. “A ideia foi de renovação, porque hoje a educação não pode estar limitada, e sim abrangente”, declara Carla. O Colégio Unasp também pretende ampliar o sistema bilíngue para outras séries. “Começamos com o jardim, mas futuramente temos a pretensão de implantar em outros anos também.”

A professora Lilian de Faria, uma das educadoras bilíngues, explica que, como as crianças são pequenas, no início elas têm um pouquinho de receio. Por isso, a ideia é não começar somente com o inglês. “No começo a gente mistura o inglês com o português, mas depois quanto mais inglês, melhor”, conta.

Na sala de aula haverá duas professoras titulares que irão revezar durante a semana. A professora Lilian irá trabalhar matérias como português, matemática, artes, história, geografia, entre outras, já a professora Joicynaira Moraes, a psicomotricidade, educação física e natação. Além disso, irão contar com três auxiliares que tenham inglês fluente.

A educadora Elaine Rocha dá aulas para a turma da manhã na mesma faixa etária dos alunos da língua inglesa, porém em português. Ela comenta que há alunos que estudam em período integral e parcial. “De manhã tem aula normal em língua portuguesa e à tarde são desenvolvidas atividades só em inglês”, diferencia.

Contudo, a coordenadora do projeto, Betania Lopes, afirma que o objetivo deste trabalho é que os alunos estudem em período integral. Nessa proposta, no horário da manhã as crianças aprendem matérias comuns dadas em sala de aula para a idade delas. Pela tarde as aulas são voltadas para a vivência com a língua inglesa. “Os professores trabalham com jogos cognitivos, expressão corporal, consciência fonológica, entre outros aspectos. Tudo isso para que os alunos vivenciem a língua. É mostrar o significado das coisas em inglês, mas sem escrever”, esclarece.

Com este trabalho, pouco a pouco, os pais percebem o resultado do método ensinado na escola. Carol Perez é mãe de aluna que estuda em período integral. Carol diz que o ensino bilíngue ajuda a criança a familiarizar-se com o idioma inglês desde cedo. “Eu acredito que esta idade é ideal para aprender outro idioma”, opina. Ela também conta que já vê diferença no ensino em casa. “Semana passada eu fiz uma pergunta para minha filha em inglês e ela me respondeu na língua”.

Lilian defende o ensino bilíngue e garante que esse método não irá confundir o entendimento dos alunos. Na verdade, eles terão mais facilidade em aprender a língua futuramente, pois o inglês será natural para eles. “Esse sistema não confunde a cabeça deles, pelo contrário, nessa faixa etária eles aprendem mais fácil. Quantas línguas você ensinar para a criança ela aprende e aprende naturalmente”, afirma a professora.


Todas as notícias

comentários