Alunos levam conforto para famílias no feriado de finados

Escrito por Rafael Brondani em 04 de novembro de 2011

Na quarta-feira, 2 de novembro, milhares de pessoas percorreram os cemitérios na cidade de Limeira, interior de São Paulo. Alunos do Centro Universidade Adventista de São Paulo (Unasp), campus Engenheiro Coelho, realizaram atividades paralelas nestes locais. O projeto foi guiado pelo grupo "Geração 148" dirigido por Jovens Adventistas que buscam ajudar o próximo e viver uma vida com princípios.  Também contou com apoio da Igreja Adventista da cidade.

A atividade teve início às 8h da manhã, quando mais de 40 jovens trocaram seu tempo livre do feriado nacional, para conversar com pessoas que estavam em momentos difíceis, relembrando seus entes queridos que faleceram. Ao todo, mais de mil e 700 livros e DVDs foram entregues.  Além da população, a imprensa que estava no local também recebeu os exemplares.

Para o diretor do Geração 148, Rafael da Motta, o projeto teve como objetivo levar esperança e conforto para as pessoas que estavam visitando os cemitérios. "Levamos aproximadamente 40 jovens. Nos dividimos em dois cemitérios e entregamos materiais que irão ajudar as pessoas. É sempre muito bom ajudar, ainda mais nesses momentos difíceis’’, salienta Motta.

Uma das participantes do projeto, Jéssica Fontella, conta que foi interessante ter a oportunidade de conversar com pessoas que estavam sensibilizadas em função da data. "Elas puderam ver que existe uma esperança através de jovens que estão dispostos a ajudar e auxiliar", enfatiza.

Para Jéssica, um dos relatos que mais marcou foi de um senhor que estava abatido e triste por ter sido abandonado há 12 anos pela família. "Ele comentou que é complicado conviver com a solidão e se sentiu emocionado em ver jovens dispostos em ajudar, jovens comprometidos com Deus’’, conta a aluna.  

De acordo com o administrador do cemitério, Valdir Oliveira da Silva, durante o dia, mais de 20 mil pessoas passaram pelo cemitério. Silva avalia essa atividade realizada pelo grupo de forma positiva porque muitas pessoas não têm religião. "É interessante ver uma ação como esta, pois, nestes momentos difíceis, onde as pessoas deixam seus parentes, amigos, enterrados, elas recebem uma palavra de conforto e isso é muito importante’’, diz.

Muitos livros, DVDs e folhetos, foram distribuídos durante a manhã. Boa parte dos visitantes tiveram contato com uma mensagem de esperança através desses materiais.

"No final da ação, olhar em volta e ver que todos tinham nosso material na mão, percebemos que a gente conseguiu levar essa mensagem para um grande número de pessoas no cemitério. Foi muito gratificante", conclui Rafael da Motta.


Todas as notícias

comentários