Colóquio Sala de Debates promove discussão sobre o corpo

Escrito por Ronaldo Pascoal em 26 de outubro de 2016

O terceiro ciclo do I Colóquio Sala de Debates promovido nesta terça-feira, 25, pelas coordenações de Jornalismo e História do Unasp, campus Engenheiro Coelho, reuniu alunos de diversos cursos com a proposta de que haja uma interação entre as disciplinas. O tema escolhido foi Concepções históricas e filosóficas do corpo e os professores e doutores Renato Garibaldi Mauri e Fábio Darius foram convidados para discursarem sobre as definições de corpo e suas relações com o homem ao longo da história.

Depois de longos anos desde seu fim, o Colóquio Sala de Debates que teve seu início em 2005, retorna com uma nova perspectiva. O que antes era um evento cultural realizado entre comunidades estrangeiras do campus, com o objetivo de fazer com que os alunos discutissem e aprendessem sobre as culturas de outros países, hoje, o programa propõe uma interação entre os cursos do Unasp-EC. O motivo para que a Sala de Debates voltasse, segundo o coordenador do curso de Jornalismo, professor e doutor em Comunicação e Semiótica, Ruben Dargã, foi que as salas de aula morreram. “Nós devemos estender para além da sala de aula assuntos que o aluno, normalmente, não terá acesso dentro da sua grade curricular”, explica. Além dessa necessidade, o coordenador defende que eventos interdisciplinares como este são uma oportunidade para um aprendizado que vale tanto para a carreira profissional do aluno, como para outras áreas do conhecimento.

Quem esteve presente na programação teve a oportunidade de ouvir, falar, entender e aprender. O universitário do primeiro ano de Jornalismo, Hyggor Luz, comenta que apesar de massiva e cansativa, por se tratar de um assunto denso, a conversa proporcionou novos conhecimentos. “Eventos assim são importantes, pois podemos ter acesso a conceitos que muitas vezes não são abordados em sala de aula”, comenta. De acordo com Luz, as expectativas dos alunos do primeiro ano foram surpreendidas. A formanda em Jornalismo, Luana Gomes, garante que esses eventos sempre trazem conceitos novos e que o assunto da noite a fez refletir. “Agora posso ver essa questão do corpo como jornalista e como pessoa e isso me fez repensar a sociedade. Parafraseando e resumindo o que foi dito hoje: é no corpo, local onde nossas mazelas se apropriam”, expõe.

O professor e doutor em Teologia e História, Fabio Augusto Darius defende ser de suma importância que os jornalistas entendam a questão do corpo, uma vez que eles são os olhos da sociedade. “O jornalista é basicamente aquele que muitas vezes lê o mundo para as pessoas que não sabem ler, e explicam e dão a visão para muitos que não tem essa percepção”, pontua. Ainda de acordo com Darius, o Colóquio Sala de Debates é uma soma entre os cursos, pois promove um preenchimento entre as lacunas deixadas pelas demandas dos mesmos. “O Jornalismo por si não sobrevive, assim como a História por si não sobrevive e a Filosofia também não. A partir do momento que nós sentamos para conversar, nós crescemos juntos”, frisa o professor. 

O Colóquio Sala de Debates já foi realizado entre o curso de Direito e, em sua segunda edição contou com a presença de profissionais da Casa Publicadora Brasileira. O professor e doutor Renato Garibaldi, desenvolve pesquisa a respeito da distinção do corpo e da carne em Michel Henry. Em suas palavras de encerramento, o filósofo citou Merleau Ponty e terminou a palestra lembrando que todo indivíduo não possui um corpo, mas sim é um corpo e por isso é importante estudá-lo.  


Todas as notícias

comentários